cliente satisfeito volta e recomenda

… mas cliente insatisfeito custa a perdoar o mau atendimento. o lado bom de ter ficado de mal com a osesp este ano – por conta da lamentável falta de *tudos* na condução do processo de venda de assinaturas da temporada 2007 – foi a oportunidade que isso me criou para literalmente sair da caixinha e investigar outras ofertas. nestas andanças, tive a felicidade de descobrir na temporada internacional 2007 do cultura artística uma notável combinação de talentos e estilos.

a programação de 95 anos da entidade consegue a proeza de superar o nível excelente da temporada passada, em que tive a memorável oportunidade de apreciar, entre outros, o les musiciens du louvre de marc minkowski executando nada menos do que as sinfonias nr. 40 e 41 de… mozart! 🙂

a venda de assinaturas para não-membros começou ontem (5/fev) e ainda tem bons lugares disponíveis. arrematei hoje o meu pacotinho, série TCA, num ótimo lugar do setor 2, tendo ainda sido muito bem atendida, num contraste gritante com minha experiência anterior de novo assinante. infelizmente este pacote não inclui yo-yo ma em junho e antonio meneses com a filarmônica de varsóvia em novembro, mas é sempre possível adquirir ingressos avulsos com 15 dias de antecedência de cada concerto.

cliente satisfeito, volta e recomenda: vamos ao Cultura Artística? 🙂

* * *

Série TCA
Maio 07
Britten Sinfonia

• Britten – Young Apollo e Prelúdio e Fuga (para violino)
• Pärt – Cantus in Memory of Benjamin Britten
• Bach – Concerto para Teclado, em Ré menor
• MacMillan – Concerto para Piano nº 2

Maio 15
Piotr Anderszewsky
– Piano
• Bach – Suítes Inglesas n° 3 e 4
• Beethoven – Variações Diabelli

Agosto 01
Capela Real de Madrid
Regente: Oscar GershensohnCoro e Orquestra
• Bach – Oratório BWV.249

• Haendel – Cântico HWV.268
• Francisco Corselli – Missa Breve de Palacio
• José de Nebra – Seleção de trechos da zarzuela barroca Ifigênia em Tracia


Setembro 04
Quarteto Hagen
• Schubert – Quarteto em Sol maior
• Shostakovich – Quarteto nº 8

Outubro 16
Jacques Loussier Piano Trio

• Bach – Fuga em Ré maior, Gavota em Ré maior, Pastoral em Dó menor, Ária em Sol maior, Concerto de Brandemburgo nº 5 e Allegro do Concerto para Cravo, em Ré maior
• Debussy – Arabesque e L’Isle Joyeuse
• Satie – Gymnopédie nº 1
• Ravel – Bolero

* * *
Update: como nada nesse mundo é perfeito… os ingressos chegaram hoje, tudo certinho. mas fiquei surpresa com o serviço do Cultura Ticket, que discriminou no comprovante de entrega o valor total da compra referente aos ingressos acondicionados em envelope lacrado… eu preferia que o segurança do meu edifício não tivesse acesso a esta informação… 🙁

duas versões de zita

… uma graciosa, resultante da interpretação de um duo de violões – o famoso duo assadi – com um violoncelo – pilotado por ninguém menos que yo-yo ma…

… outra enérgica, viva, brilhante, na interpretação do Brasil Guitar Duo

é um mundo de possibilidades… qual teria emocionado mais piazzolla?
aproveitem! 🙂

uma música puxa outra… :)

depois do barbeiro de sevilha em versão cartoon, a pauta da discussão, com o meu querido mago cartunista weno girava em torno da complexidade de construção do filme…

e como explicação de mestre, é tudo, aí vai: “esta animação usa a técnica de stop-motion, com fotos para cada movimento que o boneco ou o cenário faz. daí junta-se toda as fotos em seqüência para gerar a animação. agora imagine o processo de sincronia de imagem e voz. nessa técnica a animação é quase orgânica pois você adivinha o quanto que o boneco tem que mexer para gerar 42 fotos num total de 2 segundos, por exemplo. é complicado!

ganhei de quebra um brinquedinho novo, fã incondicional que sou de star wars e especialmente do dart vader, the dark lord of the sith! 🙂

e como coisa boa é pra ser compartilhada com os amigos… com vocês, uma demonstração de “musicalidade” na interpretação dos músicos do lado escuro da força, sob a batuta de ninguém menos que… dart vader!

curiosa disposição da orquestra no palco, hum? divirtam-se e…
let the force be with you!
🙂

il barbieri di siviglia numa divertida compilação

a conversa começa em mozart, falávamos de concertos para piano, especificamente dos números 21 e 24. num dado momento, o paralelo com rossini torna-se inevitável: quando o assunto migra para o mundo da ópera.

grande e declarado admirador de mozart, o italiano rossini chegou a ser carinhosamente apelidado, por conta desta veneração, de il todeschino (“o alemãozinho”). importante compositor do gênero, rossini escreveu mais de 30 belíssimas óperas, dentre elas, sua mais famosa: Il barbiere di Siviglia, que conta ainda com a que é considerada a melhor abertura de ópera já escrita, não por acaso, composta ao estilo de… mozart! 🙂

junte-se um tema interessantíssimo e uma leitora curiosa, e após um rápido passeio, compilei um pequeno acervo de preciosidades para compartilhar com quem quiser se aventurar…

para começar. apreciar uma obra passa primeiramente pelo estágio de conhecê-la. então a recomendação é ler o enredo do barbeiro de sevilha.

para ouvir. o barbeiro é uma ópera tão popular que um grande número de suas árias é cantarolada e conhecida de muitos. algumas gravações com belíssimas vozes – incluindo a conhecidíssima ária de Fígaro – para vocês aqui:

  • Largo al factotum (ária de Fígaro, 1° ato) tito gobbi, film, 1946
  • Una voce poco fa… lo sono docile (ária de Rosina, 1º ato)
    maria callas, hamburg, 1959
    cecilia bartoli, concert at the savoy hotel, piano: georg fischer
  • Dunque io son (dueto: Figaro e Rosina, 2º ato) maria callas e tito gobbi, phillharmonia orchestra, conductor alceo galliera, 1958

para se divertir. a popularidade é tanta que felizmente temos abordagens da ópera para virtualmente todos os gostos… alguns exemplares interessantes:

  • um filme de natalia dabizha (cartoon)
    part 1, part 2, part 3 (in english)
    figaro: donald maxwell; almaviva: peter bronder; rosina: patricia bardon; dr. bartolo: andrew shore; d. basilio: john connell; berta: christine teare.
    orquestra: the welsh national opera orchestra
    condutor: gareth jones
  • o episódio mais célebre do pica-pau em o barbeiro de sevilla (em português)

Divirtam-se! 🙂

expressão visual da música

explorando um pouco mais sobre a linha tênue que demarca a fronteira entre música e outras formas de arte, deparei-me com um trabalho muito interessante realizado pelo pintor novaiorquino phillip schreibman, que há mais de 45 anos representa sobre telas brancas a expressão visual da experiência musical. confesso que achei que ele viaja um pouco quando busca conexão de temas como sinestesia, formas de Rembrandt e abordagens de tempos horizontais, perpendiculares e óticos, no intuito de suportar sua proposição como artista.

seja como for, as obras são particularmente curiosas, merecendo no mínimo o benefício da dúvida…

beethoven (1770 – 1827)

sinfonia #3, “eroica”, opus 155

para quem quiser conferir, tem outras disponíveis aqui. divirtam-se! 🙂