novas formas de se ouvir bach

por recomendação dele fui conferir uma versão do concerto de brandenburgo nr. 3 em Sol maior (índice BWV 1048), de bach, numa abordagem interessantíssima da Akademie für alte Musik Berlin, com instrumentos de época. particularmente, fiquei apaixonada por esta versão: mais suave, com agudos menos acentuados, esteticamente mais limpa. para quem quiser conferir esta pérola do barroco tardio alemão, o primeiro movimento (Ohne Satszbezeichnung) está disponível aqui.

ouvindo beethoven

nos últimos tempos, quarteto de cordas para mim é sinônimo de opus 132, de beethoven. memorável por diversas razões, da primeira à última nota, este quarteto tem para meus ouvidos algo de mágico particularmente guardado e revelado pelo seu terceiro movimento (molto adagio). solene, flui do reconhecimento da dificuldade ao encorajamento desinteressado, honesto, comprometido. algo que se move das sombras ao coletivo. algo eterno, que devolve a paz e a serenidade do estado das coisas. música para impulsionar.