mozart completo!

fuçando pela net em busca de algumas partituras encontrei uma referência digna de nota e de ser compartilhada com les amis: o website digital mozart edition, que é uma referência definitiva de todas as obras do compositor austríaco. o website é um projeto ambicioso e sua primeira fase pretende tornar disponível em formato digital nada menos do que  126 volumes e aproximadamente 26,000 páginas de música – além de uma vasta coleção de cartas e documentos da família mozart.

parabéns ao Mozart Institute, imbuído da nobre tarefa de compartilhar em formato digital o conhecimento acumulado sobre a vida e obra do gênio, permitindo acesso livre a todos os internautas interessados!

para chegar na seção de partituras, clique no link “NMA” (Neue Mozart Ausgabe). é possível recuperar a partitura de seu interesse a partir de várias características (índice KV, tom, palavra-chave, editor, etc). aproveitem! 🙂

Spread the word:

presentinho: estrutura da fuga para não-músicos

recebi este link de “presente” hoje e achei bacana para compartilhar aqui com vocês. particularmente, me chamou a atenção pela forma criativa de representar, digamos didaticamente, a estrutura musical de uma fuga.

por definição, uma fuga tem a seguinte estrutura: exposição, desenvolvimento e re-exposição. em geral, o tema é repetido por outras vozes (em geral em outras tonalidades), que continuam sucessivamente, e se repetem de maneira entrelaçada. aqui na wikipedia tem mais informações para quiser aber mais sobre a fuga enquanto estilo de composição.

dito isso, acho que já dá para assistir ao video abaixo com um pouco mais de contexto do que a animação está tentando representar. é uma animação para a fuga em C menor a 3 vozes, uma peça que faz parte do livro I do cravo bem temperado, do compositor alemão johann sebastian bach. eu achei muito bacana. espero que gostem.

Spread the word:

cartoon + concert music

uma das melhores lembranças que tenho da fase dos 5-6 anos era o “excesso” de pica-pau (woody woodpecker). assistindo agora novamente, um dos maiores motivos do encantamento permanece inalterado: o uso em larga escala da boa música de concerto.

nos cartoons da minha geração – achei esta compilação aqui dos desenhos animados clássicos – o bom uso da boa música de concerto não é exatamente uma prerrogativa do pica-pau, mas presente em vários outros como tom & jerry e gaguinho, só para ficar em poucos exemplos. como ouvir a grande valsa brilhante de frédérik chopin sem associar ao porquinho gago – o gaguinho da turma do pernalonga?

deixo como petit cadeau um episódio do pica-pau “afinador de pianos”, com a ótima Rapsódia Húngara N# 2, S.244/2, de franz liszt. divirtam-se! 🙂

Spread the word:

Quinta Sinfonia de Mahler na Sala São Paulo

não sei dizer se ainda tem ingressos disponíveis, mas achei que valia a notinha de qualquer forma. para contar que o programa da série mogno de amanhã, na Sala São Paulo, está imperdível. Começando com Bernstein e fechando com nada menos do que a quinta sinfonia de Mahler. Regência do titular Yan Pascal Tortelier. Vale a pena conferir.

12/Dez Sábado 16h30
Vadim Gluzman violino

Leonard Bernstein
Serenade after Plato’s Symposium
Gustav Mahler
Sinfonia nº 5 em dó # menor

Spread the word:

licença musical: aprendiz de pianista e o repertório iniciante dos séculos XVII e XVIII

sim, minha gente, porque a minha pianista professora além de mãozinhas de fada, tem também ouvidos afinados e um ótimo senso para busca de repertório. encontramos uma compilação de peças “fáceis” com repertório dos séculos XVII e XVIII num ótimo trabalho de pesquisa e montagem da argentina violeta hemsky de gainza. estamos trabalhando este repertório já há alguns meses e uma coisa me chamou muito a atenção: um compositor recorrente nesta compilação que, apesar de não me soar um nome conhecido, tem peças que eu, sheila mozart, de olhos fechados desconfiaria de plágio para dizer o mínimo… 🙂

pois bem, resolvido o dilema: o compositor se chama christian gottlob neefe. alemão, advogado e… compositor e condutor de ópera. ah sim, já ia me esquecendo: foi organista em bonn e professor de piano e composição de… beethoven! segundo a musicologia moderna, diz-se que neefe foi muito querido de beethoven e que chamava a este de “segundo mozart”.

esclarecida a semelhança irrepreensível, volto então ao estudo de uma de suas belas pecinhas: um elegante allegretto em C maior.

update posterior: bem observado pela maria helena, esqueci de publicar as datas de nascimento. anotem aí: christian é oito anos mais velho que mozart. agora, se houve influência dele na escrita musical de mozart eu não consegui identificar – nem mesmo apelando para as biografias que tenho por aqui… algum musicólogo de plantão para ajudar com essa? 🙂

Spread the word:

diapason d’or para osesp

notícia fresquinha diretamente de paris: nossa osesp ganhou nada menos que um diapason d’or pela gravação integral dos choros do nosso brasileiríssimo compositor heitor villa-lobos. hora de celebrar! parabéns para a Osesp!

Spread the word: