Pequena seleção da Programação 2010 do Municipal de SP

Ainda em obras e com concertos acontecendo em outras salas da cidade, a programação do primeiro semestre de 2010 da Orquestra Experimental de Repertório do Teatro Municipal de São Paulo (OER), já está no ar desde 7 de fevereiro. A agenda traz boas opções, e particularmente encontrei duas de especial interesse para compor a minha agenda.

A primeira acontece em 30/Mai às 11h, no Teatro Bradesco, com as 8 Canções da Trompa Mágica do Menino (Des Knaben Wunderhorn), parte das comemorações dos 150 anos de nascimento do compositor alemão Gustav Mahler. O programa traz além das 8 canções, a Sinfonia Nr 1 “Titã”, os solistas Denise de Freitas e Leonardo Neiva, e a regência do nosso ilustre Jamil Maluf.

A segunda acontece em 13/Jun às 11h, também no Teatro Bradesco, com o Concerto para Piano e Orquestra Nr 2 de Chopin, na interpretação do ganhador do concurso Chopin-OER, cuja identidade será conhecida em 22/Mai, data da etapa final do concurso, patrocinado pela OER neste 2010, ano de comemoração dos 200 anos de nascimento do compositor polonês Frédéric Chopin, e ano do vigésimo aniversário da OER. O programa inclui ainda a Sinfonia Nr 1 “Primavera” do compositor alemão Robert Schumann, e a regência de Jamil Maluf.

É isso. Apesar do website do Teatro estar com conteúdo desatualizado quando o assunto é venda de ingressos, este é um problema que pretendo resolver no primeiro horário do expediente da segunda, diretamente na Bilheteria do Teatro Municipal. Se você for, nos vemos por lá.

Horowitz toca Kinderszenen em Viena

dia desses comecei a estudar o álbum da juventude – Album für die Jugend, Opus 68 – do compositor alemão robert schumann. a edição da partitura que comprei, a tradicional da henle verlag, inclui a delicada Kinderzsenen, Opus 15 (cenas de infância) – uma das minhas favoritas quando o assunto é schumann. há alguns dias atrás, ouvi quase por acaso num programa da rádio cultura fm de são paulo uma aclamada gravação desta peça na interpretação da argentina martha argerich. coincidências à parte, eis que também por acaso, dias atrás na Film & Arts, assisti ao recital do grande vladimir horowitz na não menos majestosa viena, com repertório notável incluindo a Kinderszenen: das várias interpretações que ouvi nos últimos dias, foi esta a que particularmente me encantou mais. deixo aqui como recomendação para quem quiser experimentar. boa audição! 🙂

chant d’amour

E por falar na Cecilia Bartoli… descobri esses dias um álbum dela que eu não conhecia. Um repertório baseado em canções francesas pouco executadas. É uma Cecilia com uma voz mais “escura” e bastante contida, mas perfeitamente adaptada para a interpretação de personagens diferentes. Gostei de todas as canções, mas da La mort d’Ophélie em particular. Achei que valia o post: boa pedida!