Märchenbuilder

I have been thinking of moving out of Sao Paulo, but then there comes the Piano Recital Series coordinated by the Brazilian Sculpture Museum (“Museu Brasileiro da Escultura”) and surprises me once more. Beautiful initiative, always coming up with an interesting musician and a great repertoire to be tasted. This time a very well known composer – of those we sometimes think that we have already appreciated every piece. And there comes Robert Schumann and his Märchenbilder, Opus 113 (March, 1851).

There are four movements, each of them written after an unique fairy tale. What a lovely dialogue between the piano and the viola! The slow last movement “with melancholy” is specially suggestive of peace and reconciliation, two words that work great with the awaken of the sleeping beauty. Beautiful gift by the hands of Mrs. Liliane Kans (piano) and Mr. Abrahão Saraiva (viola). Perfect sunday afternoon!

Now, better than talking about music is listening, so I offer you here then a youtube version of Schumann’s Märchenbuilder, by the skilful hands of Mr. Sviatoslav Richter (piano) and Mr. Yuri Bashmet (viola). Seat back and enjoy!

 

Music to the… eyes?!

The intention was to share a bit of my experience shooting the NYE fireworks in London. But then, I could not help but think of the incredible ballet of images as if they we part of a great Sonata… So, how about you imagine the sound of the fireworks, mixed with sounds of happiness all around, and bells from a distant church? Now, here you have a couple of pictures to help setting the scene… 🙂

1. Prelude – Allegro appassionato

NYE 2014 @ London Eye
NYE 2014 @ London Eye – 1

 

 

 

 

 

 

 

 

2. Andante un poco adagio – Allegretto grazioso

NYE @ London Eye - 2
NYE @ London Eye – 2

 

 

 

 

 

 

 

 

3. Finale – Allegro vivace!

IMG_3334

 

 

 

 

 

 

 

Happy 2015! 🙂

Chopin 205!

Nesta data 22 de fevereiro, no ano de 1810 – embora na incerteza da época há quem defenda que foi em 01 de março do mesmo ano – nascia nos arredores de Warsaw, na Polônia, o pianista e compositor Fryderyk Franciszek Chopin, que o mundo conhece por seu nome francês, Frédéric François Chopin. Um dos símbolos máximos do período da música conhecido por Romantismo, talentoso e extremamente reservado, em 18 anos de sua carreira na França, deu cerca de 30 concertos apenas em grandes salas – tímido, preferia o acolhedor ambiente do ambiente de câmara dos salões privados. Permanece um ídolo em sua pátria natal, de onde se mudou aos 21 anos por apoiar o ideal revolucionário contra a política da época, e dá nome ao aeroporto mais importante da Polônia até hoje.

E para celebrar o gênio em seu 205o. aniversário, deixo aqui um recorte do filme “À Noite Sonhamos” – do original em inglês “A Song to Remember“, de 1945 no olhar do diretor húngaro Károly Vidor, com 6 indicações ao Oscar e 1 estatueta ganha por Melhor Filme Estrangeiro. Neste recorte, Chopin chega com seu professor ao escritório do Sr. Pleyel, em Paris, 11 anos após uma correspondência trocada entre eles, onde o professor pedia espaço para apresentar seu aluno talentoso. O Sr. Pleyel logo mostra que não tem mais interesse em Chopin, até que na sala ao lado, ninguém menos do que Franz Liszt, em visita ao mesmo escritório e tendo encontrado uma partitura que considerou interessante aberta sobre o piano, começa a tocá-la a elogiá-la. Endosso feito, nasce uma amizade e a oportunidade de Chopin em Paris. Vale conferir!