Chopin 205!

Nesta data 22 de fevereiro, no ano de 1810 – embora na incerteza da época há quem defenda que foi em 01 de março do mesmo ano – nascia nos arredores de Warsaw, na Polônia, o pianista e compositor Fryderyk Franciszek Chopin, que o mundo conhece por seu nome francês, Frédéric François Chopin. Um dos símbolos máximos do período da música conhecido por Romantismo, talentoso e extremamente reservado, em 18 anos de sua carreira na França, deu cerca de 30 concertos apenas em grandes salas – tímido, preferia o acolhedor ambiente do ambiente de câmara dos salões privados. Permanece um ídolo em sua pátria natal, de onde se mudou aos 21 anos por apoiar o ideal revolucionário contra a política da época, e dá nome ao aeroporto mais importante da Polônia até hoje.

E para celebrar o gênio em seu 205o. aniversário, deixo aqui um recorte do filme “À Noite Sonhamos” – do original em inglês “A Song to Remember“, de 1945 no olhar do diretor húngaro Károly Vidor, com 6 indicações ao Oscar e 1 estatueta ganha por Melhor Filme Estrangeiro. Neste recorte, Chopin chega com seu professor ao escritório do Sr. Pleyel, em Paris, 11 anos após uma correspondência trocada entre eles, onde o professor pedia espaço para apresentar seu aluno talentoso. O Sr. Pleyel logo mostra que não tem mais interesse em Chopin, até que na sala ao lado, ninguém menos do que Franz Liszt, em visita ao mesmo escritório e tendo encontrado uma partitura que considerou interessante aberta sobre o piano, começa a tocá-la a elogiá-la. Endosso feito, nasce uma amizade e a oportunidade de Chopin em Paris. Vale conferir!

chopin, 200 anos!

Hoje é o dia em que o mundo todo celebra os 200 anos de nascimento do compositor e pianista polonês Fryderyk Chopin – o compositor cujo nome é sinônimo de belas jóias do repertório para piano solo. Muito foi publicado e está disponível ao simples clique de uma busca na internet. Então para este post separei dois pontos que gostaria de destacar.

O primeiro diz respeito ao Concurso de Piano Fryderyk Chopin, que acontece em Warsaw (Varsóvia, Polônia), desde 1927. Revendo a lista de ganhadores dos prêmios atribuídos pelo concurso, fiquei surpresa e feliz por reconhecer que o nosso Arthur Moreira Lima, figura como o pianista brasileiro ganhador do segundo lugar na edição de 1965 (o primeiro lugar neste ano ficou com a pianista argentina Martha Argerich). Um feito até o momento não superado por outro brasileiro – vejam só que oportunidade… 🙂

A propósito, se você ainda não ouviu o também polonês jovem pianista Rafal Blechacz interpretando Chopin, está na hora de corrigir esta “falha de formação”. Rafal levou o primeiro lugar na edição de 2005 com uma performance absolutamente incrível.

O segundo ponto que separei para destacar é uma curiosidade sobre a morte de Chopin. Ele faleceu em Paris, em 1849, onde foi sepultado. Porém seu coração foi removido e enterrado numa igreja em Varsóvia, segundo sua vontade. Para a celebração de sua missa de morte, na Igreja de Madeleine em Paris, o Requiem de Wolfgang Amadeus Mozart, também segundo sua expressa vontade – mas isso teve que esperar quase duas semanas, pois na época mulheres não podiam cantar na igreja e foi preciso negociar uma forma de permiti-lo (cantaram atrás de uma cortina negra). Para o funeral, sua própria marcha fúnebre (Sonata n# 2, Opus 35).

Acho muito difícil eleger algo em Chopin que eu possa apontar como sendo o que gosto mais. Mas se realmente tivesse que fazê-lo, ficaria com os Noturnos. E dentre os Noturnos, o opus 9 é de longe o meu favorito. Então deixo como petit cadeau o italiano Maurizio Pollini – primeiro lugar no Concurso Chopin na edição de 1960 – tocando o número 1 desta belíssima peça. Enjoy!