Um Theatro Municipal para uma cidade como São Paulo

OSM e o regente convidado
Jader Bignamini.
Foto: Sheila Maceira

Manhã de domingo, boas opções em música de concerto para o ouvinte paulistano, escolho ver a Orquestra Sinfônica Municipal, que tem na agenda um programa interessante e longe do lugar comum – me desculpem a sinceridade – comparativamente com os demais.

Confirmada a disponibilidade de ingressos – algo raro no dia do evento em outras salas de concerto da cidade – e vencida a dificuldade de chegar ao Theatro que aos domingos agora tem acesso interditado em função das ciclofaixas (ainda que não tenha visto um único ciclista no trajeto desde a Biblioteca Municipal Mário de Andrade), felizmente teve início uma série de gratas surpresas.

Primeiro, o programa do concerto. E aqui não me refiro às obras senão que à forma: formato, qualidade gráfica e de conteúdo, comparáveis com os programas da OSESP. Primeiro e inconfundível sinal da administração John Neschling.

Detalhe do vitral da porta de
acesso às varandas externas
do Theatro Municipal de São
Paulo. Foto: Sheila Maceira

Depois, o programa do concerto: e agora sim me referindo ao conteúdo. Duas obras do compositor musicólogo italiano Ottorino Respighi, cuja produção curiosamente tive o prazer de conhecer há alguns anos justamente com a OSESP do John Neschling, na época seu Diretor Artístico, que executou brilhantemente a bela obra sinfônica I Pini di Roma. Na sequência do programa, a belíssima Scheherazade (Op. 35) do compositor russo Nikolai Rimsky-Korsakov, de quem Respighi por sinal foi aluno.

Uma grata surpresa à parte foi a regência leve, precisa e muito carismática do maestro italiano Jader Bignamini, que mais parecia um local, dado o nível de entrosamento com a OSM e com o público. Com um currículo brilhante, o italiano deu um toque especial na execução da obra de seu conterrâneo.

A agenda 2013 do Theatro Municipal de São Paulo está recheada de bons programas, com grandes nomes entre os intérpretes e regentes convidados, além da OSM, OER e Coral Lírico da cidade.
Vale a pena conferir e prestigiar. Finalmente, parece que aos poucos nós paulistanos e todos que por aqui circulam, vão ganhando de volta um Theatro Municipal à altura de uma cidade como São Paulo.

Serviço:
Orquestra Sinfônica Municipal
Regente: Jader Bignamini
Programa:
O. Respighi: Suite do balé “La boutique fantasque” Op. 120
O. Respighi: “Fontane di Roma”
N. Rimsky-Korsakov: “Scheherazade”, op. 35
Ingressos: R$20 a R$60 na Bilheteria do Theatro ou através da www.ingresso.com.br/prefeitura


Programação completa do Theatro Municipal de São Paulo disponível aqui.