Playing for Change in Sao Paulo!

If I were to start writing these lines highlighting how much I love this PFC initiative and the band, let us face the truth: no news, right? So let me share something new: they are about to start off¬†the music teaching program in Curitiba pretty soon! This is very good news, huh? ūüôā

It means that kids in the Curitiba area will soon get a chance to change their lives at once. It is as the song says…¬†“Freedom and justice,¬†is the¬†melody that let us shine on. If you feel it, through the music, we can make this world a better place!”

May you always find courage and good heart reception so that together we can transform the world!

Now, the gift: a couple of minutes of live energy from PFC and the crowd at Bourbon Street Sao Paulo, Brazil.¬†Thank you very much, guys! You’re awesome! ūüôā

Night and Day in Sao Paulo

Last evening we took advantage of the beautiful moon shining above us in order to start off testing our new camera lens. It is being a while since we finally got to the conclusion that “depth” was precisely the characteristic that was missing in our night shots. More to come.

For now and to celebrate this beautiful dusk today I decided to post two shots¬†taken with my iphone. And because night and day brings me Frank Sinatra, why not close this post with a “petite cadeau” from the master? ūüôā

There you are: first, the shots…

… Moonlight as of October 29th and sunset as of October 30th – both taken from a¬†balcony¬†at Brooklin, Sao Paulo, Brazil…

night-and-day-out2014… and now the master: Frank Sinatra singing Night and Day, in a version of 1957. Good evening! ūüôā

Eudoxia de Barros interpreta Kabalevsky

No fim de semana tive o prazer de assistir a um dos muitos concertos da pianista paulista Sra. Eudóxia de Barros, em um dos meus cantos preferidos para ouvir piano na cidade: a sala de recitais do Museu Brasileiro da Escultura, o MuBE. No programa, um extenso colorido de tintas de compositores nacionais, aos quais a pianista dedica sua vida como intérprete, diligentemente na missão de divulgar a brasilidade de suas notas.

Das 11 peças escolhidas para compor o programa do recital, 4 delas lhes foram especialmente dedicadas pelos compositores Ernst Mahle (Tocatina), Sousa Lima (Preludio Nr. 10), Camargo Guarnieri (Estudo Nr. 10) e Antonio Ribeiro (Estudo Nr. 02).

Sua interpretação estivera brilhante e vigorosa, como em minha lembrança de outros recitais dela. Nesta ocasião, fiquei particularmente impressionada com a Sonata Opus 46, Nr. 03, composta em 1946, pelo russo Dimitri Kabalevsky (1904-1987): precisa, colorida, e vigorosa na medida em que a peça o exige. Linda interpretação! Arrancou uma acalorada salva de palmas da plateia atenta, e diga-se de passagem, bastante mais numerosa que minha experiência habitual na série de recitais de piano do MuBE.

Outra surpresa veio no bis: a Grande Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro, de Gottschalk. Bastante apropriado para a ocasião, um domingo de eleição presidencial no Brasil.

Infelizmente não encontrei no Youtube nenhuma gravação desta grande pianista executando a peça do compositor russo, então para fechar, deixo aqui com vocês uma gravação de 2001, realizada na Universidade do Arizona, com o pianista Joshua Hillmann. Boa audição!

The New Yorker Cartoons

Very often these cartoonists from The New Yorker make me laugh a lot. I simply could not help but share¬†here the¬†cartoon by the late Charles Barsotti, that was¬†republished last Sunday. Actually, you may find interesting exploring the ‘Daily Cartoon’ section every once in a while. Have fun! ūüôā

daily-cartoon-14102014-hillary

 

 

 

 

Horowitz para sempre

Vladimir_Horowitz_1986Neste primeiro de outubro, em 1903, um m√ļsico not√°vel nasceu em Kiev, que na √©poca era parte do Imp√©rio Russo (hoje Ucr√Ęnia). Ao contr√°rio de outros pianistas destacados, Horowitz fez seu primeiro recital solo j√° com avan√ßados 17 anos. Ele sonhava ser compositor e deu concertos apenas para ajudar financeiramente sua fam√≠lia durante os anos de Guerra Civil, muito embora sabe-se que durante seu tour pela R√ļssia, o jovem era pago em chocolates, p√£o e manteiga – e n√£o em esp√©cie. Tempos duros.

Intencionado a sair numa viagem sem volta, Horowitz come√ßou seus concertos internacionais por Berlin, passando por Paris, Londres, e se estabelecendo finalmente em Nova York. Ele foi muito celebrado e desde o in√≠cio adorado nos Estados Unidos. N√£o seguiu carreira como compositor mas casou-se com a filha de um grande regente¬†da √©poca: Wanda, filha de Arturo Toscanini. Existem s√©rias desconfian√ßas de que Horowitz fosse homossexual e tenha lutado durante boa parte de¬†sua vida para “mudar” esta orienta√ß√£o. Como era de se esperar para uma figura t√£o p√ļblica, muitas foram as investidas da imprensa para “investigar” este tema, e c√©lebre se tornou sua resposta marota para uma delas: “Existem tr√™s¬†tipos de pianistas:¬†pianistas judeus,¬†pianistas¬†homossexuais, e¬†maus¬†pianistas”.

Horowitz √© especialmente aclamado por sua interpreta√ß√£o do repert√≥rio rom√Ęntico para piano. Eu particularmente acho¬†dignas de nota suas interpreta√ß√Ķes de Schumann, especialmente o Kinderszenen (Cenas Infantis, Opus 15). Ah, e o que dizer da habilidade incr√≠vel entre fort√≠ssimos e pian√≠ssimos na¬†Polonaise (em A bemol maior, Opus 53 “Her√≥ica”) de Chopin? Encontrar√° a¬†Sonata para Piano de Mozart (C maior, KV 330) melhor acolhida do que as m√£os e a sensibilidade de Horowitz? Acho pouco prov√°vel, e a ela meu entusiasmo com seu repert√≥rio marcante se juntaria a¬†uma longa lista de outras cita√ß√Ķes que desenharam¬†minha vida de ouvinte¬†amadora.

A cr√≠tica especializada considera at√© hoje –¬†mais de 80 anos e de 100 outras grava√ß√Ķes mais recentes – a grava√ß√£o da Sonata de¬†Franz Liszt (B menor) , feita por Horowitz em Londres (Studio Abbey Road,¬†1932), como insuper√°vel.

Fecho este post de 111 anos de um dos meus principais √≠dolos na m√ļsica de concerto, com esta grava√ß√£o de 1932, aqui transferida do original de 78 rpm.¬†Happy Birthday, Mr. Horowitz!

 

Musical Sudoku

My friends do know I am passionate about resolving sudoku puzzles. Maybe not as much as I am about concert music nevertheless. So they just sent me one of those interesting ideas combining both worlds: a musical sudoku! I found it super cool and here I am sharing it with you at LesAmis. Have fun!

musicsudoku

 

 

 

 

 

 

 

 

Rules:

  • You can use the notes C-C#-D-D#-E-F-Gb-Ab-Bb-B
  • No enharmonics
Credit:¬†Music Whiz’s Blog!¬†(http://musicwhizs.blogspot.de)